Rodízio de Pneus no Carro – Aprenda a fazer


Rodízio de Pneus do Carro

“Tenho que fazer o rodízio de pneus do meu carro!” Se você é motorista, já foi ou é proprietário de algum automóvel, deve saber o que é e para o que serve o rodízio das rodas, e se não sabe, vamos te contar aqui.

Rodízio PneusO rodízio de pneus faz parte da manutenção preventiva do carro e trata-se de um recurso que busca garantir um desgaste mais uniforme possível entre os pneus dos dois eixos do carro. E diferentemente do que aparenta ser ou do que imaginamos ser, o objetivo desse procedimento não é apenas o de levar o proprietário a economizar com o prolongamento da vida útil dos pneus e assim evitar as trocas prematuras e parciais mesmos, mas tem como objetivo também manter o bom desempenho do automóvel e garantir a segurança das pessoas que ocupam o veículo.

Os pneus podem apresentar desgastes irregulares por diferentes motivos, que podem ser em decorrência do mau funcionamento do sistema de suspensão, ou também pode ser pelas variações das ruas, ou então pela distribuição da carga no veículo ou pode ser até mesmo por conta do tipo de terreno ou caminho em que o veículo circula. O rodízio visa equilibrar, equalizar o desgaste dos pneus em ambos os eixos, traseiro e dianteiro. Trocá-los de posição no tempo certo e de forma correta, é algo que pode garantir uma maior estabilidade do veículo na pista, algo que pode ser muito bem observado e fazer toda a diferença na dirigibilidade e na segurança em curvas e freadas.

As fábricas de pneus, normalmente, recomendam aos seus usuários que rodízio seja feito a cada 5.000 km rodados, porém, a maioria das montadoras de automóveis determina no “Manual do Proprietário” ou “Manual do Veículo” que a troca entre as rodas deve ser feita a cada 10.000 km rodados, o dobro do que dizem os fabricantes de pneus. Salvo algumas exceções de montadoras, que não recomendam o rodízio das rodas com a justificativa de que os pneus dianteiros, tendo em vista que são mais solicitados do que os pneus traseiros por conta da tração, estariam sendo deixados em condições de vulnerabilidade depois de trocados, o que configuraria certa negligência quando em situações mais perigosas, em que se exige um pouco mais dos pneus, como em uma frenagem brusca ou em um desvio rápido no percurso. É muito importante que o proprietário mantenha-se sempre bem atento quanto ao desgaste irregular dos pneus do seu automóvel, adiantando-se, quando necessário for, ao tempo indicado no “Manual do Veículo” para a execução de tal procedimento.

A tração traseira ou dianteira de cada veículo é o fator que fará a diferença no sentido da troca das rodas. Essa é mais uma informação que provavelmente deve ser encontrada no “Manual do Proprietário”, mas é exatamente isso o que vamos te ensinar aqui, pois se não executada de maneira correta, essa troca entre os pneus pode não surtir o efeito desejado e se fazer desnecessária.

Nos carros em que a tração é dianteira, a ordem da troca das rodas é a seguinte: os pneus traseiros passam para frente em linha reta, ou seja, o pneu traseiro esquerdo passa a ser o dianteiro esquerdo e assim com o pneu do lado direito, e os dianteiros devem ir para trás cruzando os lados, em forma de X, ou seja, o pneu dianteiro esquerdo passa a ser o traseiro direito e assim com o pneu do outro lado.

Nos carros em que a tração é traseira, a ordem da troca das rodas é diferente: o processo é exatamente ao contrário do que é feito nos carros com tração dianteira. Nesses os pneus dianteiros passam para trás em linha reta, ou seja, o pneu dianteiro esquerdo passa a ser o traseiro esquerdo e assim com o pneu do lado direito, e os traseiros devem ir para frente cruzando os lados, em forma de X, ou seja, o pneu traseiro esquerdo passa a ser o dianteiro direito e assim com o pneu do outro lado.

Como em tudo no mundo que é do nosso vão conhecimento até hoje, nesse caso também existem as exceções, levando em consideração que existem diferentes tipos de pneus. Os pneus com desenhos unidirecionais, aqueles que vêm com uma seta na lateral do pneu indicando o sentido de rodagem, devem ser substituídos apenas em linha reta, ou seja, os pneus traseiros passam a ser os dianteiros e os dianteiros passam a ser os traseiros, permanecendo do mesmo lado, evitando então, com isso, um possível aumento de ruídos indesejados e um desgaste irregular dos pneus, o que afeta diretamente a dirigibilidade e segurança do automóvel. Pneus de tamanhos diferentes também não podem, em hipótese alguma, fazer o rodízio entre si.

Após ser feito o rodízio entre as rodas, é de suma e fundamental importância, para que sejam alcançados os objetivos pelos quais se fazem as trocas dos pneus, que o motorista faça o balanceamento das rodas e o alinhamento da direção, procedimentos esses, que normalmente acompanham o prazo de 10.000 km dos pneus, mas sempre respeitando a necessidade de um rodízio antecipado. É essencial que se confira a calibragem dos quatro pneus no mínimo uma vez por semana, cuidando para que o desgaste deles ocorra da forma mais homogênea possível. É importante também sempre verificar a pressão e as condições do estepe, pois ele é muito importante em situações emergenciais e por isso deve estar em perfeito estado de conservação e devidamente localizado no espaço destinado a ele no carro.

Essas são as principais coisas que você precisa saber para poder garantir, com o rodízio das rodas, mais segurança para você e sua família, maior tempo de durabilidade do seu automóvel e maior conforto no seu dia a dia no se que diz respeito a dirigibilidade do seu veículo . Vale ressaltar que esse procedimento não terá efeito na tentativa de corrigir o desgaste maior de um pneu em relação aos outros. Quando qualquer um dos pneus do seu carro ficar careca, aí então é hora de trocá-lo!

Gostou do post? Então cadastre-se e receba novidades!

Digite seu email:

Tem algo a dizer sobre isto? Então comenta!


WP Like Button Plugin by Free WordPress Templates